Depoimento de Greice Campos

Oi Katia, boa noite!
Tudo bem com você?
Tive um insight sobre mim e gostaria de compartilhar com você.
A cura pela empatia e vulnerabilidade.
A cura está no centro do furacão de dor.
Para chegar à cura, eu passo pela dor para compreendê-la, olhá-la e acolhe-la e para isto, eu a sinto e me conecto com a cura que está logo ali.
Sinto a dor até o ponto necessário para não ultrapassar o limite de me vitimizar, quando alcanço o ponto necessário, me conecto à cura e vou ao seu encontro para transmutar a dor em amor. Eu consigo contribuir com o próximo quando compreendo a dor dele e vejo a solução, mas só consigo fazer isto, quando olho, compreendo e aceito a minha própria dor, se não faço isto, eu temo o desconforto que a dor proporciona e evito a minha e a dele. Ao ver a dor do outro, eu me lembro do meu desconforto e temo senti-lo e na tentativa de parar esta lembrança e este sentimento, eu visto a máscara da vitimização, ou utilizo teorias para sair da “bad”. Procuro o mais rápido possível algo para me apoiar e afastar esta manifestação não desejada, passando por cima do caminho da cura, evitando pegar na linha que me conduz ao amor. A vulnerabilidade é a minha maior força, porque a empatia é um dom forte em mim. Por muito tempo achei que era uma fraqueza, muitos me alertavam para me cuidar mais, me proteger mais e algumas vezes tentei fechar o meu campo, mas ele se abria. Hoje, eu sei que a questão não é fechar o campo, mas aceitar e compreender que ele é expansivo e que eu vou sentir o que os outros, ambientes e objetos sentem, pensar o que os outros pensam, mas se eu souber quem eu sou de forma completa, conhecendo as minhas dores e a minha fonte de amor e cura, nada me assusta ou paralisa, ao contrário, eu uso esta força para seguir a linha que me conduz à cura, ao amor.
Gratidão por contribuir com este entendimento.
Bjos
Anúncios

Depoimento de Greice Campos