Ser gentil – Katia Di Giaimo

Hoje fui fazer um exame do coração no hospital e o atendente que fez a minha pré ficha deu-me um sorriso e disse:

Hoje você salvou o meu dia…

Eu achei engraçado e perguntei o que eu fiz?

Ele disse você sorriu…

Então comecei meu papel investigatório…rs…como toda pessoa parapsíquica deve fazer.

Antes de mim uma pessoa muito intransigente havia detonado com o rapaz…brigou, xingou porque o atendimento estava lento.

Ele comentou que havia ficado muito mal, chegou a tremer em desequilíbrio sem entender o que havia feito de errado.

Então expliquei pra ele como funciona o mundo energético, que não havia nada de errado com ele, mas com a pessoa que fez dele o saco de pancada.

Falei do quanto às pessoas sugam energeticamente as outras com esses desequilíbrios e como ele deveria se portar diante de tal falta de educação, não entrando na sintonia da outra pessoa.

Quem lida com o público passa por essas coisas quase todos os dias, aprender e entender como lidar com isso é tarefa de quem está à berlinda, lidando com pessoas em desarmonia tempo integral.

Se as pessoas soubessem que a gentileza, mansidão, educação, o carinho e o respeito fazem muito bem a nós mesmos e aos outros, fariam tudo diferente, praticariam sempre.

Nossa assinatura energética aonde passamos, demonstra o que somos sem que precisemos falar absolutamente nada…

Nossa presença energética, fala mais de nós do que as palavras.

Que possamos ser assim, alegrar a vida das pessoas e não ser a pedra no sapato.

Gentileza gera gentileza, vamos fazer um mundo mais leve para nós e para quem nos encontra mesmo ao “acaso” sem nunca termos visto a outra pessoa.

Um sorriso!

Um abraço!

Uma palavra que você possa dar, pode fazer o dia de alguém melhor.

Pense nisso e seja gentil mais vezes ao dia!

vamos ser agentes transformadores, a vida com muito mais gentilezas.

Anúncios

Origem das Doenças – Ciência da Cura Prânica – MCKS

Emoções e sentimentos descontrolados e reprimidos, como raiva, preocupação, irritação e frustrações prolongadas exercem efeitos indesejáveis e poderosos sobre o corpo de energia.

Parece que as emoções negativas podem se manifestar como doenças diferentes em diferentes pacientes.

Raiva e preocupação intensas tiram a vitalidade do corpo de energia, deixando o organismo suscetível a todos os tipos de doenças.

As emoções negativas causam distúrbios no corpo de energia, os quais se transforma em doença no corpo físico.

Talvez você já tenha passado pela experiência de ficar fisicamente esgotado ou doente depois de uma discussão violenta ou de um acesso de raiva intensa.

Isso aconteceu porque tanto corpo de energia como o corpo físico visível ficaram sem prana e se tornaram suscetíveis a infecções.

Se o problema é de origem emocional, o terapeuta prânico, além de aplicar o tratamento, deve dar a devida orientação psicológica.

O paciente deve ser aconselhado a fazer um curso de construção do caráter e a meditar regularmente, para ajudá-lo a superar suas tendências emocionais negativas.

Através da meditação e da reflexão interior diária, o paciente desenvolverá uma autoconsciência e uma maturidade emocional maior, aumentando significativamente sua capacidade de controlar e canalizar suas emoções e, consequentemente, melhorar muito a sua saúde

Deve-se notar que, nesse caso, a cura prânica não produzirá uma cura permanente, a não ser que haja uma mudança emocional.

A causa – raiz da doença precisa ser removida para que a cura permanente aconteça de fato.

Fonte: Ciência da Cura Prânica- MCKS

*Que as Bênçãos sejam para Todos.

#curapranica #pranichealing #masterchoakoksui #mcks #energy #goldenprana #terapiapranica

Síndrome de Burnout – Katia Di Giaimo

Muitas vezes somos envolvidos e incentivados no trabalho a competir com nossos colegas, trabalhamos, trabalhamos e trabalhamos e nos tornamos workaholics sem perceber, entramos de roldão nas tarefas diárias, fazendo tudo o que nos solicitam.

A sociedade nos impõe regras, metas e diversas tarefas e acabamos adquirindo uma doença chamada síndrome de burnout (A dedicação exagerada à atividade profissional é uma característica marcante de Burnout, mas não a única. O desejo de ser o melhor e sempre demonstrar alto grau de desempenho é outra fase importante da síndrome: o portador de Burnout mede a autoestima pela capacidade de realização e sucesso profissional).

Perdemos nosso centro, deixamos os nossos familiares em segundo plano, filhos, maridos, mulheres, achando que o trabalho é “tudo”, vivemos numa competição com aparências mascaradas e socialmente saudáveis, nossa ideologia é ganhar dinheiro e mostrar que somos felizes, competentes e capazes.

Capazes para quem, para que e porque ?

Estamos vivendo uma época do Ego Exacerbado:

Do eu sou, eu posso, eu tenho, eu venço, eu cresço, eu aconteço, minha felicidade acima de tudo, minha família, minha casa, meu carro, meus amigos, meus filhos.

O que temos de nosso realmente?

Já pararam para pensar?

Nossos filhos estão distantes de nós, procurando seguir esse padrão errado que ensinamos a eles, nossos maridos/esposas no mesmo ritmo, e as avós parecem que se extinguiram porque estão no mesmo ritmo de vida workaholic.

Falamos com nossos filhos, através do WhatsApp, Skype, facebook, telegram, vemos e acompanhamos a vida de quem amamos pelo Instagram.

Que mundo é este que criamos para nós afinal?

Onde sorrimos e a nossa alma está triste, tentamos mostrar o melhor de nós nas redes sociais, mas não estamos realmente felizes.

Precisamos ter para tentar satisfazer algo que não está à venda:

Nossa paz, o amor verdadeiro, a vontade de estar com alguém por estar simplesmente sem interesse algum por trás de uma conversa.

Uma coisa que sempre falo, vamos viver o momento presente, presente em cada situação sem nos dispersarmos como temos feito.

Ao estar com uma pessoa, esteja de fato com ela.

Se for brincar com seu cachorrinho, esteja presente na troca de carinho que ocorre naquele momento.

Se for passear num parque, aprecie a paisagem, esqueça do celular e das fotos para postagem nas redes sociais.

Não vamos esperar a perda de uma pessoa querida, a doença de alguém que amamos, ou a velice para parar, ou dar o devido valor aos que são importantes para nós.

O que fizemos de errado?

Esquecemos que precisamos “dar um tempo” porque senão o mundo nos engole, precisamos estar inteiros em cada momento de nossas vidas, porque se continuarmos nessa “toada” esqueceremos de fato quem somos e a que viemos.

Quantas vezes precisamos aquietar as vozes que vem de fora, silenciando nossa mente e aquietando nosso ego, para dar uma direção correta aos nossos pensamentos, sentimentos e emoções.

Parece que ele insiste em fazer barulho para não entendermos o recado que precisamos ouvir da nossa alma superior.

Entender que a busca da espiritualidade também pode acontecer com músicas que elevam nosso ser, ampliando nossa consciência no contato com o divino.

Entre nesta vibração, viva cada segundo em sua plenitude, absorva a energia das coisas positivas em sua vida, porque ela é muito curta, garanto que não vão se arrepender.

Por isso, aproveitem porque ainda há tempo!

Para ajudar nessa conexão com o divino, o som de Kitaro auxiliará a elevar o padrão energético para outras dimensões.

🙏🏻🙏🏻🙏🏻

fonte: kitarotv

Você não é tão importante quanto imagina – por Gustavo Tanaka

Aqui vai uma dica importante que Gustavo Tanaka dá…

Para quem é empata então, a dica…é ainda maior.

Responsabilidade pelo outro é algo que não devemos carregar como um fardo, vamos ajudar sim, mas de forma leve sem que ela se torne uma cruz para nós mesmos.

Vamos ser aquele que abre a gaiola e liberta o outro de suas próprias amarras.


Eu sempre carreguei o mundo nas minhas costas.

Eu sentia uma responsabilidade que nunca foi compatível com a idade que tinha no momento.

Achava que eu era responsável por manter meus pais felizes, por mantê-los casados, por manter minha família unida. Quando eles discutiam, eu achava que era algo que eu não estava fazendo direito.

Achava que eu era responsável pelas vidas de todas as pessoas que já trabalharam para mim. Quando tive que demitir alguém, achava que eu estava causando um mal àquela pessoa e àquela família.

Achava que eu era responsável por todas as tentativas frustradas de relacionamento que não deram certo. Quando o relacionamento não evoluía, eu me culpava por estar fazendo algo errado.

Eu achava que meus amigos sofreriam muito se eu faltasse a um aniversário ou se não retornasse uma ligação. Quando não conseguia ir a um evento, eu achava que precisava ligar imediatamente para me explicar.

Eu me sentia culpado. Muito culpado por todas essas coisas.

E por isso eu carregava um fardo gigante nas minhas costas.

Um fardo que meus 30 anos não conseguiam carregar. Que meus ‘um e sessenta e tantos’ de altura não podiam suportar.

Mas então eu entendi uma coisa que mudou minha vida.

Eu não sou tão importante assim quanto imaginava.

Eu sofria por algumas situações que as pessoas não estavam nem aí.

Eu continuava pensando em situações que tinham acontecido vários dias ou meses atrás e achava que as pessoas ainda estavam falando de mim.

E enquanto fui entendendo que ninguém estava nem aí pra mim, fui vendo que isso acontecia com outras pessoas também.

Uma amiga minha que disse que vinha sofrendo por mais de 10 anos por achar que seu ex-namorado começou a fumar maconha quando ela terminou com ele.

Uma outra que acha que é ela que mantém os pais casados.

Um amigo que não pode faltar nunca a um jantar com os sogros porque vai decepcioná-los.

Ou aquele que não pode morar fora porque tem familiares aqui e acha que eles precisam dele.

Nós nos fizemos escravos de nós mesmos. Escravos da própria imagem que a gente projetou.

A grande verdade é que cada um é responsável pela própria vida.

Se uma pessoa sofre, é ela quem precisa resolver.

O ser humano é muito mais complexo do que a gente imagina. Não temos capacidade nenhuma de entender o que se passa na vida de outra pessoa. São milhares de variáveis. Traumas de infância, relação com os pais, vidas passadas, karma, acordos de alma. Tem tanta coisa que não sabemos e ainda assim, agimos como se soubéssemos.

Como se aquele pequeno comportamento que fizéssemos fosse responsável pela infelicidade da vida toda de uma pessoa.

Eu continuava pensando em situações que tinham acontecido vários dias ou meses atrás e achava que as pessoas ainda estavam falando de mim.

E quando entendi isso, eu consegui passar a viver uma vida mais leve.

Eu ainda tenho altos e baixos. Ainda tem vários momentos em que acho que sou muito importante. E que me sinto responsável por tudo o que acontece na vida de outras pessoas.

Mas só de ter consciência disso, eu volto a me colocar em perspectiva e entender que sou apenas uma pequena parte do todo. Como uma única célula no corpo humano.

Uma única pecinha do planeta Terra.

fonte: https://blog.gustavotanaka.com.br/você-não-é-tão-importante-quanto-imagina-216f6d842a6c?gi=da341201e22a

Ruído Interior

Você sabe o que é uma Aura?

Aura é a luz que existe em volta do corpo. Toda pessoa tem uma Aura.

As auras dos Santos podem ser vistas porque são mais fortes. Dentro da Aura existem nuvens negras de pensamentos e emoções negativos que foram sendo geradas com o decorrer de muitos anos.

Tais pensamentos e emoções são vistas pelos clarividentes como nuvens cinzentas que atuam na aura das pessoas comuns.

Quando você senta pra meditar, já observou que muitos pensamentos entram e saem da sua mente?

Isso é chamado de “ruído interior”.

Na verdade, a mente sempre esteve saltando de uma coisa pra outra, mas você simplesmente não tinha consciência disso.

As nuvens cinzentas de pensamentos e emoções, no interior de sua aura, são uma das principais fontes de ruído interior.

Pensamentos e emoções são seres vivos; por isso quando olhamos para eles e não reagimos, deixamos de alimentá-los. Dessa forma, eles vão perdendo a energia e se desintegram.

Esse processo leva muito tempo.

Há ocasiões que a Alma Superior deseja comunicar-se com a Alma Encarnada, mas essa não escuta. Ela não responde.

O Ruído Interior, gerado por energias turbulentos na Aura e também nos centros de energia, torna difícil essa comunicação.

A fim de permitir essa comunicação é importante purificar e desintegrar as nuvens cinzentas de pensamentos e emoções barulhentas de dentro da Aura.

Quando uma pessoa faz a meditação nos Corações Gêmeos, seu chakra do coração e da coroa são usados para abençoar toda a terra, todas as pessoas e todos seres, com bondade amorosa.

O meditante torna-se um canal para essa energia espiritual.

Quando energia espiritual desce, por meio do cordão espiritual, para o centro da coroa e para o centro do coração, ela se irradia para a Aura, fazendo com que os pensamentos e emoções turbulentas sejam expulsos.

Alguns deles são até desintegrados.

Através da prática regular de meditação, a Aura se torna relativamente limpa dentro de um curto período de tempo.

Você irá experimentar uma calma interior e uma vez que essa calma tenha sido atingida, estará pronto para praticar a quietude interior.

#energy #pranichealing

#terapiapranica

#curapranica

#meditacaonoscoracoesgemeos

#masterchoakoksui

#goldenprana

Do livro: Meditações para o Desenvolvimento da Alma – MCKS

Fonte: Luíz Carlos Massa Junnior

A vida de um Empata como ela é

Às vezes um pequeno vídeo como esse fala mais do que mil palavras.

Quando retorno pra casa após um dia de contato com pessoas e diversos tipos de pensamentos conturbados, a sensação é semelhante a de terem aspirado meu cérebro…rs

Vontade de dormir, cansaço…mas isso vai além, muito além da normalidade…

E tem dias que a coisa é tão séria que a cama acaba sendo o meu refúgio, junto com o sono profundo pra repor essas energias perdidas.

A vida de um empata como ela é…rs

Acho que vou lançar um projeto novo, contrate um empata e tenha um lindo dia sem desgastes energéticos, porque o empata faz isso como ninguém, a rede Wi-Fi energética móvel.

Tenha um empata ao seu lado e usufrua de um dia perfeito.

Se a moda pega acabo de arrumar trabalho para os empatas…rs